#viaja

#viaja: Colonia del Sacramento | Uruguai

Quando programamos nossa viagem, selecionamos Punta e Colonia para conhecer. A ideia era alugar um carro e ir cada dia numa cidade, já que as distâncias não são tão longas: 132 km até Punta e 181 km até Colonia. As estradas são bem sinalizadas e boas. Pegamos um carro mais econômico já que éramos só Leo e eu, porém gasolina no Uruguai é bem cara. Para os dois trechos há a cobrança de pedágio, eles aceitam real. Existe um ônibus turístico (translado + tour + guia) que leva até as duas cidades, mas sairia mais caro para duas pessoas. Para quem está sozinho é uma boa opção.

Reparamos que ambas cidades, durante a semana, ficam muito paradas, vários lugares fechados. Punta é uma cidade muito animada no verão e Colonia deve ser interessante à noite em função dos inúmeros restaurantes. Li que nos finais de semana o movimento é maior e o comércio abre. Tentamos ir a alguns museus e procuramos alguns restaurantes pesquisados previamente e estavam fechados. Melhor buscar visitar as cidades na época de temporada ou nos finais de semana. Pelo que vimos, não tem necessidade de reservar muitos dias para as cidades, um só basta.

Como disse acima, Colonia del Sacramento lembra bastante Paraty e isso vem por conta da colonização portuguesa, a única no Uruguai. Sua fundação foi em 1680 e o centro histórico é pequeno, mas muito bem conservado e limpo. Em 1995, a cidade de Colonia del Sacramento recebeu o título de Patrimônio Cultural e Natural Mundial pela UNESCO.

Diferente de Paraty, a circulação de carros é permitida em Sacramento, mas quem dirige sempre perde os detalhes bacanas das casinhas e comércio local. Basta só parar mais perto do centro histórico, estacionamos sem dificuldade. Recomendo sapatos baixos e confortáveis para a caminhada, pois as ruas de Colonia são feitas de pedras irregulares, quem vai de salto deve sofrer bastante.

Vale a visita à Plaza Mayor, logo em frente tem o Farol que é lindo. Para subir tem que pagar. Nas redondezas da Plaza Mayor existem museus pequenos, como o Português e Municipal. Uma dica é ver o dia e horário de funcionamento para não perder viagem, ambos museus estavam fechados assim como alguns lugares que passamos durante a nossa viagem. Também vale a pena ficar esperto pois a grande parte de lojas de souvenir não aceitava cartão e vinham com aquela conversão mega desfavorável. Aproveite a proximidade e vá até a Calle del Suspiros, a rua mais antiga de Colonia. O Portón de Campo era um dos principais acessos de Colonia na época da colonização Portuguesa e é composto pela muralha de São Miguel, portões e uma ponte levadiça. Quem descer no rumo da muralha verá canhões usados na proteção da cidade.

Já do outro lado, a Plaza das Armas é menor e tem a Basílica del Santíssimo Sacramento, que é uma igreja mais simples. Perto do rio vale a visita no píer dos iates e no Teatro Bastion Del Carmèn, o ponto rende fotos bem lindas. Minha cunhada foi para Buenos Aires através de Colonia, ela fez a visita e no final da tarde pegou o barco para atravessar o rio. Durante a minha pesquisa, vi que várias locadoras de veículos tem ponto de entrega em Colonia, então dá para ir, deixar o carro, conhecer a cidade e ir para Buenos Aires.

Nós almoçamos no La Trattoria. O custo x benefício foi bom. Comemos pizza e reparei na massa que é mais grossinha e macia. Como disse no post sobre comer e beber no Uruguai, a massa não tem nada a ver com aquela massa pesada fofona do Pizza Hut, ela é incrivelmente leve e saborosa. Leo pediu pepperoni e eu fui num sabor que tinha presunto e azeitonas. Estava deliciosa. E tomamos vinho para não perder o hábito. Também tomamos um café no café Ganache. Na verdade eu tomei um cappuccino com alfajor e Leo foi de chocolate quente.

O próximo post é sobre Punta del Este <3 Para quem ainda não leu, já estão disponíveis os posts sobre Montevidéu (clica aqui!) e Comer e beber no Uruguai (clica aqui!)

Comments

comments

Leave a Reply