#viaja: Comer e beber no Uruguai

Fizemos pesquisas sobre quais as comidas e bebidas típicas no Uruguai e fizemos buscas dos melhores lugares que em que poderíamos prová-los. Durante a pesquisa, reparei que Montevidéu não tem restaurantes de alto luxo com alta gastronomia em destaque (ou não encontramos em nossa pesquisa). A cidade fez sua fama nos Chivitos e Parrillas, que pedem mais informalidade. Mas nem sempre informalidade está relacionada com preços mais baratos, comer é caro no Uruguai. Fique atento pois os pratos são em geral grandes e dá para dividir numa boa! Em compensação, quem gosta de vinho passará muito bem e não terá dificuldade de encontrar rótulos muito bons com preços justos.

Chivito al plato – Recoleta

Quem for ao Uruguai encontrará com facilidade o chivito. Sabe aqueles sandubas estilo “tudão”? Chivito é um “tudão” com bife de carne macia passada na chapa. Geralmente leva carne de vaca, ovo frito, tomate, presunto, queijo, tomate, azeitona, maionese. Algumas versões tem outros ingredientes, ai vai de acordo com o freguês. O chivito é enorme e geralmente vem com batata frita acompanhando. Nosso primeiro chivito foi a versão “al plato” que não vem pão, mas veio a “rusa”, a salada com batata, cenoura, ovo e maionese. Como éramos inexperientes, pedimos um chivito para dois, mas a fartura de comida dava tranquilamente para 3 ou até 4 pessoas, dependendo da fome. Alguns lugares permitem que você monte o seu chivito, o que é bem interessante se você não gosta de algum ingrediente nos propostos pelo restaurante ou lanchonete. Onde comer Chivito: Recoleta (al plato), Chivitos de lo Pepe (tradicional) e Chivitos la Mole (personalizado).

Chivito – Chivitos la Mole

Não comi e fiquei na vontade: Choripan (sanduba com pão, linguiça , picles, salsa criola ou chimichurri). Reparamos que em vários lugares eles servem o Pancho, o cachorro quente mais simples: pão, salsicha tipo frankfurter, ketchup, mostarda e maionese. Comemos uma Frankfurter envolvida no pão de de forma, queijo e presunto no Facal, que é um lugar super tradicional em Montevidéu. Tipo de coisa que eu comeria sempre aqui no Brasil. O pessoal do Uruguai adora este tipo de linguiça.

A parrilla também é um prato que você encontrará por onde for no Uruguai. As carnes uruguaias são famosas e vale pelo menos experimentar um dia durante a viagem. Geralmente os locais que servem parrilla tem vários cortes em separado ou opções “tudão” que vem de tudo (carnes e embutidos – incluindo a morcilla que é um embutido feito a partir de sangue coagulado e gordura, bem diferente do que encontramos em vários estabelecimentos no Brasil, aqui eles se referem a um tipo de linguiça). A carne que comemos estava no ponto certo que Leo indicou e para acompanhar fomos de salada e vinho. A parrilla tudão geralmente vem com legumes assados na brasa sobre a grelha, junto com as carnes. Batata frita acompanha a maioria das parrillas. Onde comer parrilla: La Perdiz.

Parrilla – La Perdiz

Finitos e Milanesas são constantes nos cardápios pelo Uruguai. Os pratos são muito parecidos, a maioria leva uma salada decorativa de alface, tomate e fritas. O finito leva ovo frito por cima do bife e a carne é passada na chapa. Já a milanesa é feita com o empanado de ovo batido e farinha de pão ou panko. Boas opções para almoço. Repararam como eles adoram batata frita e ovo? Onde comer: La Pasiva (finito) e Palemo Viejo (Milanesa)

Finito – La Pasiva

É possível encontrar empanadas facilmente. Mas não comi nenhuma que fosse espetacular. Reparei que eles tem a empanada frita. Comi e achei pesada já que a massa é grossa e puxa muita gordura. Acho bacana a massa mais fina com bastante recheio. Sabores favoritos: a criolla (carne com ovo cozido) e queijo com cebola. Onde comer: Empanadas Carolina / Mercado del Puerto (frita) e Alfajores del Uruguay. Store. (assada). Existem opções nos supermercados como as medialunas (croissant), mas geralmente estão frias, dependendo do sabor não fica bom.

Empanada – Empanadas Carolina

Comemos pizza em Colonia del Sacramento, bastante honesta no La Trattoria Bar. Pizza é bem popular e a massa é mais grossinha e macia. Não tem nada a ver com aquela massa pesada fofona do pizza hut, ela é incrivelmente leve e saborosa. Em alguns lugares vocês podem encontrar a fainá, que é feita com farinha de grão de bico (harina de garbanzo), água, azeite de oliva, sal e pimenta. Eles servem junto com a pizza, como um aperitivo. Não comi mas quero fazer pois adoro grão de bico.

Pizza – La Trattoria Bar

Alfajor é facilmente encontrado. Comemos de várias marcas, a maioria comprados em supermercados. A variedade é grande e eles se concentram na cobertura de chocolate, na Argentina você encontra vários com glacê que o deixa muito doce. Eu prefiro alfajor macio, aqueles que parecem biscoito eu passo. Como é barato e depende do gosto, não indicar uma marca específica, apenas a darem preferência aos de lá, afinal o Havanna é argentino e é mais fácil de encontrar aqui. Os preferidos foram o da marca Black e o Negro da Punta Ballena. Comemos um alfajor “peladinho no café Ganache em Colonia del Sacramento. Café que é uma gracinha por sinal. O alfajor estava bom, mas esperava o alfajor com chocolate. Quem gosta de chocolate sempre espera né? rs

Blog Sim, Senhorita | Viagem | Travel | Camila Gomes | Uruguai | Montevideu | aLFAJOR

Alfajor – Ganache

Em nossa primeira refeição tomamos um susto com os valores de refrigerantes, águas e sucos. São caros e isso “nos obrigou” a beber vinho todos os dias no almoço e jantar praticamente todos os dias. Pedimos vinhos de jarra, rendiam uma taça para cada um e eles eram honestos. Tentamos optar pela uva tannat, que é bem comum no Uruguai e mais difícil de encontrar normalmente no Brasil. E confesso que voltamos fãs dos vinhos de lá. Uma coisa que não tomei foi o Médio y Médio, que a mistura do vinho branco com espumante. Comprei uma garrafa no duty free e tomarei aqui. Lorena Martins do jornal O tempo disse que é muito bom, imagino que no verão deve ser a melhor pedida.

Vinho na Jarra – Recoleta

Comidinha no Hotel <3 Supermercados Frog e Disco com bons vinhos

Por fim, jantamos na nossa ultima noite em Montevidéu no restaurante La cocina de Pedro, bem perto do nosso hotel. Lembra que eu comentei que Montevidéu não tem muitos restaurantes sofisticados? Lá não é exatamente sofisticado, mas é mais chiquezinho que a maioria. O cardápio é amplo, vai de parrillas e chivitos a risotos e massas. Carta de vinhos boa, na verdade fomos numa opção mais honesta do nosso último tannat no Uruguai, Leo optou pelo H.Stagnari, uma vinícola bem conceituada. Veio um couvert com pãezinhos bem gostosos, mas nada do outro mundo.Eu comi um risoto de frutos do mar e Leo foi de ravioli. Foi uma das poucas vezes que comi frutos do mar no ponto exato. E farto o prato! A massa do Leo também estava no cozimento certinho, tudo perfeito. Não é alta gastronomia mas é uma comida muito bem feita, atendimento bom e ambiente charmoso.

Risoto – La cocina de Pedro

Ravioli – La cocina de Pedro

Faltou só comentar o passeio e almoço que fizemos na Bodega Bouza. Nele falaremos também sobre a uva tannat. Que gosta de vinho vai gostar do post <3

Comments

comments

More about Camila Gomes

Camila Gomes é mineira, mora em Belo Horizonte e se formou em Artes Plásticas. Cresceu vendo sua mãe costurar e escutando histórias sobre sua avó estilosa. Acredita que a moda é um modo de se comunicar assim como cuidar da beleza é reservar um tempo para si. Mesmo que sejam apenas cinco minutos... Quer conversar mais comigo? Me mande um email! contato@srtasenhorita.com

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *