#viaja: Montevidéu

Recentemente fizemos nossa visita ao Uruguai, oficialmente, República Oriental do Uruguai. A população do país é de aproximadamente 3,5 milhões de habitantes, sendo que mais da metade vivem na capital, Montevidéu. É também a cidade sede do Mercosul. Fizemos da capital a nossa base de apoio. Não conseguimos ver o mesmo monte que o expedicionário Fernão de Magalhães, aproveitamos que a cidade é bem plana e fizemos todos os passeios à pé. No total da viagem, caminhamos mais de 108 km, sendo que 84% destes em Montevidéu. Chegamos a caminhar 25 km em um único dia. Parece muito, mas parávamos bastante o que tornou tudo mais leve.

Cruzamento no bairro Pocitos

O clima estava ameno, ventava bastante e estava bem agradável para caminhar sem suar. Vale a pena levar um casaco estilo corta vento na mala, inclusive, é uma boa para todas as viagens. Não chegamos a usar o transporte público (andamos apenas à pé, taxi, uber e carro alugado), mas nos pareceu ser precário com poucos ônibus circulando pela cidade em geral nas vias principais e as linhas do metrô não parecem ser muito úteis para os turistas.

Parte Histórica

Ficamos no hotel Ibis (o único da cidade), gostamos da sua localização e infra-estrutura (só faltou um frigobar e ar-condicionado funcional que faria falta se fosse verão). Perto do hotel tínhamos dois supermercados (Disco e Frog) onde fazíamos algumas compras para o café da manhã, vinhos e quitutes para a noite. Logo em frente ao hotel ainda havia uma casa de câmbio e uma pequena loja de vinhos com bons preços. Os vinhos são bem mais baratos que no Brasil, por isso tomamos vinhos todos os dias. Por exemplo, compramos o vinho Pueblo Sol por 110 pesos (12,50 reais), que no Brasil custa 45 reais.

Plaza Independência

Sobre a moeda, a grande maioria dos locais aceita cartão, dinheiro (peso uruguaio, dólar e real). Existem casas de câmbio espalhadas pela cidade toda e recomendo que façam uma pequena pesquisa e tenham uns pesos pois no comércio o pagamento em real é desvantajoso. Logo que chegamos, compramos chips da operadora Antel no aeroporto Carrasco para usarmos internet na rua, inclusive, usamos muito google maps para traçarmos nossas rotas. Dá para baixar o mapa com marcações, mas internet ajuda muito para pesquisas de última hora ou locais que queríamos saber do que se tratava.

Teatro Solis

Compras não são muito vantajosas. Fazendo a conversão poucas coisas valem a pena. Trouxemos vinhos (no duty free do Uruguai tem boas opções de vinhos com a uva tannat), alfajor, geleia de frutas e aproveitamos o duty para comprar itens que são caros aqui como cosméticos e perfumes. Não fomos com objetivo de comprar, mas olhamos algumas coisas e não achamos que valeria a pena gastar. Falarei sobre a moda de Montevideu em um post separado!

Plaza del Entrevero

Comida também não é barata. Na verdade, os valores de pratos são muito parecidos com os que temos no Brasil em restaurantes de médio porte e não vimos muitos restaurantes sofisticados em nossa busca. Focamos também na culinária regional e optamos também por locais frequentados por moradores locais. Mas em geral são pratos fartos que dividimos numa boa. Faremos um post sobre os lugares que fomos e comidas típicas. Uma coisa que nos surpreendeu foi o fato que água, suco e refrigerantes são bem caros em restaurantes, aí optamos por jarras de vinho que rendiam uma taça para cada um ou taça de vinho, dependia da disponibilidade da casa. Os vinhos eram regulares e fora que é bem gostoso comer tomando um vinhozinho né?

Montevidéu é uma cidade segura. Andamos muito, por vários lugares e não vimos muitos mendigos, pedintes e moradores de rua, mesmo em lugares que eu não passaria se fosse em BH. Achamos apenas um pouco complicado a logística para atravessar ruas e avenidas. Raras faixas de pedestre, sinais de muitos tempos (muitos cruzamentos também permitiam conversões à direita e/ou esquerda). Mas os motoristas são bem educados e nos deram passagem inúmeras vezes. Em geral, muita educação por parte do povo.

Praça da Constituição

Fomos a vários lugares que valem a visita. A parte histórica é bem conservada, extremamente charmosa e rende fotos incríveis. Pontos que são imperdíveis: Plaza Independência tem a estátua e mausoléu de Jose Artigas (herói nacional) e no seu entorno tem prédios importantes como o Palácio Salvo, Museu do Governo, Palácio do Governo, Portal da Cidade e o Teatro Sollis. Montevidéu tem muitas praças, mas as que achei mais charmosas foram no Centro Histórico: a praça da constituição tem a Catedral Metropolitana de Montevidéu (vale entrar, é linda por dentro) e a praça Zabala. Aproveite para ir ao Mercado del Puerto para conhecer (e até almoçar, tome cuidado com o assédio dos garçons!) e no pier do porto, tem uma vista bonita da orla.

Para quem gosta de correr e fazer atividades físicas, a orla de Montevidéu é muito bacana para corridas (tem uma maratona famosa) pois tem muitas curvas e tem parques distribuídos pela cidade. Destaco o Rodó que é lindo mas está em manutenção então certos pontos estão fechados e o Battle que é onde fica o estádio Centenário. As praças são inúmeras como disse acima, não são tão pomposas mas é possível encontrar estruturas de academia ao ar livre em várias.

Mercado del Puerto

Pontos que estão distribuidos pela cidade: Letreiro Montevidéu fica na praia de Pocitos, leve uma dose extra de paciência se quer tirar uma boa foto; Shopping Punta Carretas que foi construído no antigo presídio da cidade (bom para ver as lojas de moda local), Sede do Mercosul que fica perto do parque Rodó, Obelisco aos Constituintes que está perto do parque Batlle e a pista de patinação El Cuadrado que fica na quase em frente da Sede do Mercosul. Parques e áreas públicas são muito utilizadas pelos moradores legais, é bem bacana ver a utilização do espaço de uma forma tão intensa.

Letreiro – Praia de Pocitos

Ao final, vimos que dois dias bastariam para Montevidéu. A cidade não tem tantos atrativos, até achei parecida com Belo Horizonte, mas é o tipo de cidade boa para morar. Apesar de ser a capital do país, não tem aquela agitação louca e as pessoas são mais educadas e simples. Leo até brincou que quando aposentarmos podemos morar lá para beber vinho barato todo dia e eu completei que iria para a praia levando a minha cadeirinha para fazer aquele tricot como vi uma vovozinha perto do pier. Vida tranquila…

Faremos mais posts sobre a nossa viagem, separamos para não ficar enorme! <3

Comments

comments

More about Camila Gomes

Camila Gomes é mineira, mora em Belo Horizonte e se formou em Artes Plásticas. Cresceu vendo sua mãe costurar e escutando histórias sobre sua avó estilosa. Acredita que a moda é um modo de se comunicar assim como cuidar da beleza é reservar um tempo para si. Mesmo que sejam apenas cinco minutos... Quer conversar mais comigo? Me mande um email! contato@srtasenhorita.com

One thought on “#viaja: Montevidéu

  1. #viaja: Colonia del Sacramento | Uruguai - Sim, senhorita

    […] Punta del Este <3 Para quem ainda não leu, já estão disponíveis os posts sobre Montevidéu (clica aqui!) e Comer e beber no Uruguai (clica […]

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *