#viaja: Tiradentes por Mariana Celle

Tiradentes sempre foi, durante minha infância e adolescência, o “jardim de casa”. Isso porque eu nasci e cresci na cidade vizinha, Dores de Campos (30 minutinhos de lá). Lembro de ir com meus avós para a cidade e fazer piquenique no Largo das Mercês ou de reunir a família para um almoço diferente no domingo. Mais na fase adulta, trabalhando com gastronomia e depois também com turismo, a cidade ganhou amplitude. E hoje, como jornalista, além de Tiradentes ofertar opções para um jantar especial ou um passeio gostoso, ela também se apresenta para mim como um lugar que, apesar de tão pequeno, se mostra muito grande e rico em possibilidades e novas descobertas.

Bem, primeiro item: onde me aconchegar? Como sou “dali do lado” nem sempre fico na cidade para me hospedar. Sendo assim vou contar de dois locais onde já fiquei e que têm perfis diferentes, porém, cada um atende bem de acordo com a intenção do hóspede. Se o desejo é por ficar pertinho do centro e gastar pouco, a dica é optar por pousadinhas familiares que oferecem o básico em conforto e café da manhã, como a Pousada Elisa . Não há luxo, mas é limpa e tem uma ótima localização para quem prefere não depender de transporte.

Já se seu interesse é por uma viagem que preze pelo bem-estar, não deixe de se hospedar na Aromas da Montanha. Com sofisticação, mas sem frescura, a equipe da pousada consegue oferecer uma hospedagem inesquecível. Cada detalhe se apresenta como uma forma de atenção e carinho que vão da recepção, passam pela cozinha e seus deliciosos preparos caseiros, até toda a estrutura do quarto e seguem até o jardim encantador ao fundo. Por lá há piscina, hortinha de ervas e ainda a possibilidade de se observar belos pássaros enquanto toma um chá ao cair da tarde. Ela também não é tão distante do centro (aproximadamente 5 minutos de carro), porém fica em uma região mais reservada. O que pode ser muito bom também quando se quer descansar de verdade.

Além dessas, há ainda muitas outras opções para os mais variados bolsos e interesses. Se ficar em dúvida, vale à pena acessar a fanpage da Asset – Associação Empresarial de Tiradentes e começar a escolher por lá. 

Depois de definir onde se hospedar, você deve pensar: como me locomover? Eu gosto de caminhar e, apesar de ter algumas ladeiras pelo trajeto até pontos turísticos como a Matriz de Santo Antônio e o Museu da Liturgia, por exemplo, a paisagem compensa. De todo modo, invista em roupas e calçados bem confortáveis. Esqueça o salto e mantenha um casaco leve ou um lenço na bolsa, pois mesmo nos dias quentes, ao anoitecer as temperaturas costumam cair e fica friozinho. Se você for se hospedar ou visitar algum lugar mais distante, há taxistas na cidade. Se a intenção for por um passeio ao redor do município, indico alguns serviços. Veja só:

Uai Trip (Contato: Dalton | http://www.uaitrip.com.br/), Agência Terrestres Brasil  (Contato: Wladimir Loyola operacional@terrestresbrasil.com.br – (32) 98899-3555), Eco-Guia com Jardel da Montanha (Contato: Jardel Zamboni jardel.spocher@hotmail.com – (32) 9 9117-4657)

Esses contatos poderão te apresentar Tiradentes e região por outro olhar: o do ecoturismo, a partir de passeios na Serra de São José, onde há trilhas diversas para serem feitas a pé, de carro ou de quadriciclo. Por lá a natureza é ainda mais exuberante com cachoeiras, aves, plantas, entre outros atrativos, partindo de Tiradentes e visitando municípios limítrofes como Santa Cruz de Minas e Prados.

Aliás, falando em Prados há dois pontos que merecem destaque. Vamos começar pelo artesanato de Vitoriano Veloso, distrito da cidade mais conhecido como Bichinho. Gaste uma tarde lá observando o trabalho dos artesãos. Vale à pena! Antes de ir, passe na casa da simpática família produtora dos “Doces do Bichinho” e não deixe de experimentar o canudo de doce de leite e a goiabada cascão. Aliás, tudo lá é muito bom! Esses são apenas os meus preferidos.

Outra visita que faz parte de Prados é um almoço no restaurante Grotão, na zona rural da cidade. Ele serve comida caseira e deliciosa em uma paisagem rural bem próxima da natureza, com quiosques pelo espaço e um moinho d’água onde é feito o fubá usado na receita do tutu à mineira. Antes de começar, peça a porção de torresmo com uma caipirinha. Deliciosa combinação! Para chegar lá, aproveite e vá pela Estrada Parque. Trecho com paisagens lindas que nos leva até uma das partes altas da serra. O pôr-do-sol e o nascer da lua podem ser admirados com esplendor em um dos mirantes pelo trajeto.

Bem, voltando a Tiradentes, tenho três sugestões para se comer muito bem. Aliás, acredito que já esteja sendo perceptível que o quesito “onde comer” é, para mim, um dos pontos altos de qualquer viagem. Por isso aqui vão algumas dicas. Para uma comidinha típica, bem servida e em conta, sempre sugiro o Restaurante do Celso. Um dos estabelecimentos mais tradicionais da cidade, antes chamado de “bar”, o restaurante fica no Largo das Forras, no centro. Lá serve o melhor feijão tropeiro que já comi e olha, garanto que já comi muitos.

Para um jantar especial, a experiência que o Angatu proporciona se vê em poucos lugares. A refeição com entrada prato e sobremesa talvez exija um investimento financeiro maior, mas vale com certeza a visita. O chef Rodolfo Mayer foi indicado recentemente pelo Infood como “um dos cozinheiros que devem brilhar em 2017”, na opinião dos renomados Laurent Suaudeau, Emmanuel Bassoleil e Claude Troisgros. Porém, antes de ir, vale garantir a reserva.

Se quiser ficar mesmo pela praça central, o Templário – Restaurante e Choperia costuma ter música ao vivo de qualidade com músicos da região tocando MPB e Bossa Nova. No cardápio, há petiscos mais tradicionais mesclados a receitas com toque alemão, como o misto de salsichas com trio de mostardas (escura, amarela e doce). Bom para um happy hour sob os ombrelones na varanda.

Durante o dia, além dos muitos museus, igrejas e arquitetura colonial encantadora, que são imperdíveis, há roteiros para os interessados em conhecerem mais sobre as artes locais em outros aspectos. O Sr. Tião Paineira é uma personalidade que faz belas peças de cerâmica. Ele anda meio adoentado, “já são muitos janeiros nas costas”, como bem disse certa vez o historiador e escritor tiradentino Luiz Cruz. De todo modo, não deixe de visitar a família. O atelier fica na Rua Alvarenga Peixoto, no Bairro Cuiabá (é a rua que sai de Tiradentes em direção ao Bichinho. Indo, fica à esquerda). Lá é possível encontrar também a produção do Zé Paineira, filho do Tião que muito bem aprendeu o ofício com o pai e, atualmente, reproduz exemplares da arquitetura local. As filhas de Tião ainda fazem geleias deliciosas, uma delas é a “marmalade”, feita com o suco e a casca da laranja. Excelente opção para acompanhar pães, roscas e também assados, especialmente o lombo de porco. Uma combinação irresistível!

Outro segmento que merece atenção é o ramo moveleiro. Entre opções diversas, destaco os móveis da marca Divinas Gerais . Lindas peças com personalidade feita por uma família que coloca amor no que faz e reflete isso em seu produto. Do mesmo modo, outro cantinho que me encanta e sempre vou é na Marcas Mineiras Loja e Café. Nem sempre para comprar, mas opção certeira para um café acompanhado de bolo caseiro naquela deliciosa pausa do dia. Não se espante e opte pelo de abobrinha acompanhado por lemon curd. Surpreendente! Além das delícias da cafeteria, a loja, instalada em uma casa com lindos jardim e quintal, revela em cada cômodo belos produtos em cama e mesa, todos confeccionados artesanalmente e bordados à mão. Ainda há outros genuinamente mineiros comercializados em parceria com marcas como a tradicional Cristais C’adoro.

Por último, caso queira levar uma lembrança para compartilhar em casa e recordar a cidade e também Minas, visite a Queijaria Ouro Canastra. Ela fica na Rua Direita e reserva deliciosos e surpreendentes queijos da região e de todo o estado. Por lá, você ainda bate uma prosa com os proprietários enquanto aprecia uma cerveja artesanal.

Seja bem-vindo e bom apetite!

Obrigada Mari, seu post é irresistível! Aposto que muita gente ficará com muita vontade de ir a Tiradentes <3

Comments

comments

More about Camila Gomes

Camila Gomes é mineira, mora em Belo Horizonte e se formou em Artes Plásticas. Cresceu vendo sua mãe costurar e escutando histórias sobre sua avó estilosa. Acredita que a moda é um modo de se comunicar assim como cuidar da beleza é reservar um tempo para si. Mesmo que sejam apenas cinco minutos... Quer conversar mais comigo? Me mande um email! contato@srtasenhorita.com

One thought on “#viaja: Tiradentes por Mariana Celle

  1. #viaja: Tiradentes por Mariana Celle – LookBook Blog Brasil

    […] post #viaja: Tiradentes por Mariana Celle appeared first on Sim, […]

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *