#viaja

Fazendo as malas com a Camis

Para muitas pessoas, fazer a mala é muito difícil, chega a ser uma das piores partes da viagem. Antigamente eu tinha uma certa dificuldade mas aprendi algumas coisas e hoje esta parte é mais simples. Ai resolvi montar este post bem vida real para mostrar como faço minha mala. Separei em duas partes: o video, em que faço a minha mala para Tiradentes e o texto, em que faço algumas observações, truques e dicas.

Em viagens, eu aprendi que tenho que observar alguns fatores: local, dias de estada e clima. Para a parte do local, eu vejo a previsão do tempo para me certificar de temperatura, vento e chuva. O numero de dias me dá uma noção do quanto de roupa que tenho que levar e as atividades envolvidas na viagem + clima me ajudam a pensar no tipo de peças que devo escolher. Ultimamente eu estou bem prática e opto por roupas mais neutras e que posso repetir em combinações variadas, já reparei que levo mais blusas, mas se o planejamento é de ficar mais dias, penso que lavar em lavanderia de hotel ou próxima pode ser uma boa alternativa para quem não quer levar uma mala grande. E transformo meus looks com acessórios (óculos, bijuterias, lenços), que em sua grande maioria ocupam pouco espaço.

Sobre looks, vejo que algumas blogueiras fazem post sobre malas e em muitos casos acho que cria mais confusão que ajuda. A história de montar looks e leva-los prontos é muito bom mas não precisa de escolher uma roupa totalmente diferente para cada dia. Uma calça jeans pode ficar muito bacana com uma camiseta, regata, tricot e camisa. Só ai temos 4 possíveis produções com uma peça chave. Escolha as suas e monte looks a partir delas. Eu monto meus looks a partir dos sapatos que levarei, acho sapato mais complexo pois sapatos nem sempre ficam bons com certas roupas. Cada um pode optar por peças chave, pensando que são poucos itens e comandarão todo o resto.

Outra coisa que eu facilita é guardar algumas coisas em necessaire. Não é só maquiagem ou itens de higiene pessoal. Guardo lingerie, acessórios e dependendo até blusas (ai o ideal é utilizar sacos para organização). Isso facilita muito pois sei exatamente onde estão minhas coisas, não tenho que revirar a mala caçando algo e deixando tudo de pernas pro ar. Fora que a mala fica mais compacta, cabe até comprinhas de viagem sem problemas. Itens mais delicados como bijuterias e óculos você pode levar dentro de bolsas menores, pois protege mais dos trancos que as malas levam por ai.

Os sapatos vão em saquinhos que as lojas dão (separo os melhores), as vezes levo até um extra no caso do sapato sujar e eu não conseguir limpar no hotel (tipo tênis para trilha). Antigamente levava sacolas plásticas mais grossinhas para guardar a roupa suja, mas ganhei recentemente um organizador de plástico que fecha com zíper e uso ele, costumo levar parte das roupas nele, tiro quando chego e coloco novamente na medida do uso.

Itens mais volumosos eu prefiro viajar com eles como botas, bolsas grandes, mochilas e casacos. Bota é um saco pois ao passar no raio x, os fiscais implicam, ai tem que tirar, passar e colocar de novo em pé. Mas leve isso como parte da viagem, tudo melhora depois. E mala de mão só com o necessário, dependendo do voo (nacional ou internacional) existem regras que devem ser cumpridas (este post do Melhores Destinos http://www.melhoresdestinos.com.br/bagagem-viagem-aviao.html explica super bem o que você pode levar, dimensões da mala e afins).

Para quem é esquecido, vale a pena montar a própria lista de itens essenciais (e sempre esquecidos). Roupas e afins costumam variar em quantidade e tipo, certas coisas não. Eu geralmente esqueço: pijama, chinelo, estojo da lente de contato, óculos e colírio. Então são os primeiros itens que pego para não ter erro, assim como medicamentos. Dependendo do lugar você não conseguirá comprar uma aspirina sem receita, recomendo que leve os seus para evitar problemas.

Gosto muito da minha mala de mão (é a do vídeo), comprei para as viagens na época mais intensa do blog e hoje penso que foi a melhor escolha pois ela é compacta, semi rígida, tem cadeado na própria mala (com segredo), as rodinhas giram 360 graus (facilita para transporta-la) e tem um zíper expansor que amplia o espaço de forma generosa. E não foi tão cara, me arrependi por não ter levado esta mala na viagem do Uruguai, o sistema de cadeado na própria mala é mais seguro que o cadeado normal. Anac recomenda que itens de valor devem ir na mala de mão, porém a mala de mão é responsabilidade do passageiro, a mala despachada da companhia aérea. Nem sempre tudo cabe na mala de mão, recomendo quem vai viajar a solicitar a declaração de bens no check-in para evitar aborrecimentos como os que tive quando cheguei em Montevidéu.

ps.: Quem me acompanha viu que comentei em algumas redes que tive os óculos furtados na ida do Brasil para Uruguai. Dei falta dos mesmos no hotel, entramos em contato com a Latam e depois de muitas conversas por emails o caso está na justiça. Ontem li que uma passageira teve a mala de mão furtada em um voo da Latam, ela levava equipamentos fotográficos. O problema não é só a empresa, mas todo o sistema, logo, nós como consumidores temos que nos precaver dos oportunistas de plantão, visto que as empresas aéreas não tem cuidado com nossos pertences.

Comments

comments

1 Comment

  1. claudiaNo Gravatar

    26/07/2017 at 15:51

    Oi Camila!

    Eu costumava sofre muito (ai que drama, rs) pra fazer as malas, mas com o tempo e a prática fui pegando o jeito. Já tenho uma lista básica pra destinos de frio e outra pra calor/praia. algo que me ajudou muuuuito foi um app chamado Stylish Girl. Nesse app, é possível cadastrar suas roupas e até aquelas que quer comprar e depois ir montando os looks com elas. Desse modo, eu tenho um melhor aproveitamento do que eu ponho na mala e também já vejo se aquela peça desejo se encaixa com as demais peças no meu armário. Quando eu quero usar a blusinha tal, mas não sei quais outras peças vou usar, vou lá e olho todas as combinações que já fiz com ela. É bem legal e útil.

    Beijão!

Leave a Reply