#gastrô, Belorizontices

#belorizontices: La Vinicola

O blog foi a convite da assessoria do La Vinicola.

Brasileiro tinha uma resistência a vinho, mas com a importação de rótulos de qualidade e mais em conta, tem muita gente trocando as cervejas basiconas por vinhos. Eu tomo muito mais vinho hoje que tempos atrás e foi um processo: cerveja “comercial” (tipo skol, brahma, antártica) por cervejas artesanais e importadas, agora o vinho. E acho que também tem o costume, com o tempo eu adaptei e só me falta vencer a barreira dos vinhos brancos, ainda não sinto prazer na bebida, prefiro espumante.

Korean Wrap | Cannoli toscani | Slider trio experience

Riso balls arancini | Maki Trio

Geralmente quando saio tomo vinho também, se não tem uma opção mais honesta na carta, eu já vejo se tem o vinho da casa servido no decanter ou taça. É mais comum ver taça e no embalo das pessoas que optam por vinho mesmo num ambiente mais relaxado que surgem vários “wine bar” no Brasil. Fomos ao La Vinicola e a proposta é unir o vinho com comidas que harmonizem bem com várias uvas, fáceis de comer e com opções individual ou para dividir.

Risoto Parmigiano

Risoto Risocanastra

Hand Ragu Lasagne

Localizado no Lourdes, a pequena casa tem mesas dentro do estabelecimento e na calçada. Pelo numero reduzido de mesas, recomendo chegar antes das 19 horas e pegar mesa dentro da casa pois o bar ao lado coloca música alta e fica um pouco incomodo para quem quer conversar. O sistema lá é de fichas, você vai lá no caixa, compra um valor aproximado do que vai consumir e faz os pedidos. O vinho a pessoa escolhe no balção de acordo com as opções do dia e o atendente serve. No caso da comida, é feito o pedido no balcão e o garçom leva até a mesa indicada.

Os valores de taça vão de R$7,00 (75ml) a R$12,00 (150ml) e R$50,00 a garrafa com 750 ml – as que são servidas, existem outras opções com valores até 300 reais. Os petiscos individuais variam de 15 a 18 reais e para dividir 28 a 32 reais. As comidinhas (massas e risotos) são 18 reais cada. Tem umas opções maiores de petisco que são para compartilhar (ou não, depende da fome de cada um) que saem de 35 a 45 reais, como burrata inteira dentro de uma panhoca. A casa tem combos que incluem uma entrada ou petiscos maiores + garrafa de vinho ou coquetéis. Tem uma parte reservada aos que estão de dieta e veganos. Os doces são 8 reais todos.

Bailey´s Tiramisu

Creamy Cake (com Ovomaltine)

Eu gostei do sistema de taças, cada um consome o vinho que mais agrada e o consumo fica individualizado. Se os gostos são parecidos, talvez uma garrafa seja mais vantagem afinal sairia 10 reais mais barato. Os petiscos são bons, gostei do mini hambúrguer e o cannoli toscani, experimentei a lasanha e gostei até mais que o risoto que pedi, fui de Risocanastra (o que tem costela de leitão marinada) e provei o parmigiano (de queijo maçaricado) que Leo pediu mas preferi o meu. Dá para comer um prato sem pedir entradas e ficar satisfeito, não sei se dividir seria uma boa, eu não como muito e ficaria na vontade. Achei muito bom o Bailey´s tiramisu e olha que eu adoro um bolo de chocolate.

Confesso que fiquei um pouco incomodada com a música muito alta do bar ao lado. Acho que não combina um ambiente barulhento com beber vinho e conversar, até mesmo porque era complicado conversar até com quem estava ao lado. Prejudica o La Vinicola e até mesmo o bar, já fomos lá uma vez mas não voltaria nunca nesta confusão balada-espetinho. Torço para que La Vinicola mude de lugar e tenha um espaço que realmente merece para a proposta que eles nos mostraram no dia…

Categoria: bares, amigos, casais

Ponto Forte: sistema de fichas, consumo/cartela individual, vinhos

Ponto Fraco: sobremesas mais tradicionais

Gasto Médio: R$50 reais por pessoa

Onde fica: Rua São Paulo, 1815, loja 01

Telefone: (31) 3889-0098

https://www.lavinicola.com.br/

Comments

comments

1 Comment

  1. Amanda FreitasNo Gravatar

    10/09/2017 at 23:51

    Que delícia. adoro seus posts #gastrô, sempre lugares que não pensamos existir em BH.
    Esses dias fiquei com vontade de ir num tal La taberna, restaurante espanhol ali na Savassi. Sempre que passo perto da trincheira bate aquela vontade mas não sei quando vou, rsrs.

Leave a Reply