#belorizontices: Paradiso

Paradiso numa casa antiga bastante simpática no bairro Santo Antônio. Fui pela primeira vez com Leo, o restaurante nos pareceu agradável e é pertinho da casa dele. Depois fui a convite da Mariana, assessora do Paradiso. Tanto de dia como de noite o lugar é um charme, bem gostoso, discreto e fora do circuito do Lourdes. Existem bons restaurantes fora de lá gente, acreditem. Tem dia que não queremos muitas inovações,...

#belorizontices: L´Entrecôte Bistrô

Recebi um convite da Fabi para ir ao L´Entrecôte Bistrô. Ela faz rede sociais de vários restaurantes bacanas em BH. E é uma pessoa que gosto de conversar. Queria muito conhecer o restaurante, que veio antes da sua prima, a L´Entrecôte de Paris e ver as diferenças entre as duas casas. Inicialmente, o esquema das duas casas era bem parecido: prato único com um pedaço de entrecôte (corte bovino da parte anterior das costelas) com molho secreto e batata frita (quem quiser pode repetir heheh). O molho secreto tem mostarda, mas o do Bistrô eu senti que tinha mais especiarias (uma pitadinha de canela possivelmente).

Primeiro comemos um steak tartare (prato de carne de vaca crua picada, misturada com vários condimentos e servida com uma gema de ovo crua) e uma saladinha de mix de folhas verdes, tomate-cereja, nozes e molho de iogurte natural. Para acompanhar o steak, uma cestinha de pães, fritas e um molhinho com mostarda em grãos. Confesso que ficaria numa boa no Steak + molhinho + batata, nem queria muito o pão. Virou uma combinação mais que perfeita.

Com o tempo, variações surgiram do prato principal. Sai a batata frita e entra o fettuccine Alfredo, fritas rústicas (cozidas e fritas com casca) ou legumes salteados na manteiga. Tudo funciona com a carne, que você pode indicar o ponto. Nem todo mundo gosta de ver aquela piscininha vermelha no prato, eu sou destas. As vezes solicito o “ao ponto pro bem passado”, para não sacrificar tanto o gosto da carne. Batatas  vieram no ponto, crocantes por fora e cozidas por dentro, o fettuccine al dente com o molho bem feito, cheio de manteiga e tempero na medida. Já comi alguns Alfredos sem sal, ai não como em qualquer lugar mais pois é o tipo de prato que pede tempero se não fica sem graça.

Para finalizar, a mousse de chocolate. Iria lá só para comer a mousse, ela é deliciosa. E tinha tempos que eu não comia mousse tão boa, cremosa, chocolate de qualidade e farta. O garçom chega com um bowl grandão de mousse  e a serve de colheradona no prato. Um momento de muita felicidade de ver tanto doce, quem é formiga ou chocólatra entenderá o que estou falando. Sobremesa boa para os dias mais furiosos da TPM, ela dará conta certamente.

Não vá lá pensando em dieta, tudo bem que tem a opção com legumes salteados na manteiga (que não é tão magro assim). O local é tão charmoso e acolhedor como a comida. Uma portinha bem discreta, local com mobília simples, como aqueles bistrôs charmosos que vemos nas comédias românticas em que a mocinha encontra com o mocinho e o final é sempre feliz. Se não encontrar com o mocinho ou a mocinha, pense que a comida valerá muito a pena e será uma companhia excelente.

Categoria: almoço, jantar, comida francesa, comida típica

Ponto Forte: L´Entrecôte tradicional com fritas

Ponto Fraco:

Gasto Médio: R$70,00. Sem bebida alcoolica

Onde fica:

Rua Marilia de Dirceu 116, Lourdes

(31) 2515-2811

Abre todos os dias, fique atento para os horários (no facebook deles está especificado)

#camiscozinha: Cheesecake de Frutas Vermelhas

Uns dias atrás Léo e eu fizemos uma cheesecake de frutas vermelhas. Na verdade foi de framboesa e morango, compramos uma geleia de framboesa e uma caixa de morangos e juntamos os dois. Uma vez eu vi Nigella fazer um cheesecake e ela usou frutas vermelhas congeladas para fazer uma geleia rápida, só acrescentou um pouco de água e açúcar, levou ao fogo por até que a calda encorpasse e deixou esfriar. Só que não é fácil encontrar frutas congeladas. Então rolou este improviso e deu certo.

Também fiz uma adaptação na massa, coloquei mais manteiga, umas 50 gramas e depois de “esticar” a massa na forma com fundo removível, eu a levei ao forno por uns 10 minutos para dar uma escadinha. Meu receio era que ela desmontasse (e eu acho gostoso ela durinha kkk). No final eu acho que não aconteceria, depois vou testar sem assar.

A receita não é difícil, ela requer mais paciência e tempo que técnica. E o mais legal do cheesecake que dá para variar a cobertura: geleia de damasco, geleia de pêssego, doce de leite, nutella…

 

INGREDIENTES

1 pacote de biscoito maisena
100g de manteiga derretida (+50g se ela estiver muito solta, “esfarienta”)
3 colheres (sopa) de açúcar
1 pitada de sal
450g de cream cheese
200g de iogurte grego
3/4 xícara de açúcar impalpável (usamos o refinado mesmo)
1 xícara de creme de leite fresco
1 colher (sobremesa) de baunilha
300g de morango
100g de amoras, framboesas e mirtilo (ou um pote de geleia de 200 g + 300 g de frutas de sua preferência, morango era mais fácil e mais barato)
2 colheres (sopa) de açúcar

MODO DE PREPARO

  1. Triture os biscoitos e misture com a manteiga derretida. Misture o açúcar e o sal. Coloque a farofa na assadeira e com a ajuda de um copo, pressione a farofa contra a forma de uma forma que ela fique firme. Leve a geladeira e deixe endurecer um pouco.
  2. Enquanto isso, faça o creme: Bata o cream cheese até que ele fique bem cremoso. Misture o iogurte grego, o açúcar e a baunilha. Bata o creme de leite fresco em ponto de chantilly. Misture delicadamente no creme de queijo com açúcar. Despeje o creme na assadeira e leve para gelar. Deixe gelar por 8 horas.
  3. Coloque as frutas na panela com as duas colheres de açúcar. Aqueça por 5 minutos ou até o açúcar dissolver. Desligue o fogo e reserve as frutas na geladeira.
  4. Depois das 8 horas de geladeira, desenforme a torta e despeje as frutas em cima do creme gelado. Sirva em seguida. (Nós levamos ao freezer por uma hora e depois passamos para geladeira, ficou muito bom e mais rápido).

#belorizontices: Atmosphera Mocca

Fui ao Atmosphera Mocca em dezembro. Já conhecia o Mocca do Belvedere e estava curiosa para conhecer o novo, que fica no Vila da Serra. Já adianto que pela distância, melhor ir ao do Vila da Serra. Lá o espaço é maior, pé direito duplo e a decoração é caprichada, com itens antigos garimpados pela dona, Adriana. Adriana se formou em Fonouaudiologia e lembrou de mim, quando foi dar umas...

#belorizontices: Vila Árabe

Quem gosta de comida árabe conhece algum Empório Vila Árabe. Hoje tem Empório em vários lugares da cidade, onde é possível comer salgados árabes (e outros nem tanto como a famosa coxinha de frango gigante), pastas e comidas congeladas árabes, bebidas e especiarias. Além do Empório, a “rede” tem os restaurantes, eu vou sempre que posso no Vila Árabe que tem no BH Shopping que tem um numero reduzido de...