#viaja: Prado por Leo Araújo

Prado foi a minha primeira praia. Já perdi as contas de quantas vezes fui a esta pequena cidade no sul da Bahia. Enquanto a maioria dos mineiros iam a Guarapari e Cabo Frio, minha família ia a Prado, Bahia. A distância é longa, aproximadamente 800 km, muito sol e algumas aventuras no caminho. Dependendo das condições, a viagem de carro leva de 10 a 12 horas (incluindo paradas) e aproximadamente 15 horas de ônibus, com a vantagem de ser à noite e com sono as horas passam mais depressa.

Para quem vai de carro, saindo de Belo Horizonte, a jornada merece uma pausa logo no início para tomar um café no Belleus (em São Gonçalo do Rio Abaixo, 11 km após a entrada para Barão de Cocais, caminho para o Caraça). As empadas são deliciosas, e o pão-de-queijo não fica muito atrás. Daí pra frente não me recordo de nenhuma boa opção para indicar. Chegando a Nanuque (o local mais quente na face da terra) avistaremos alguns inselbergs (montanhas de pedras monolíticas que emergem do solo) que compõem a Serra do Aimorés. Passando Nanuque já estaremos na Bahia e Prado mais em breve.

ONDE FICAR: O bairro Novo Prado conta com várias boas pousadas, a praia é melhor que a praia da cidade e ainda fica perto suficiente para ir à pé ao centro da cidade. A minha preferência é pela Pousada Casa de Maria, é um lugar tranqüilo e aconchegante, mas para quem tem crianças indicaria outras pousadas como a Guaratiba ou Novo Prado, na mesma rua.

LUGAR IMPERDÍVEL: Basicamente são duas praias: a Praia da Cidade e a Praia Novo Prado, sendo a segunda a minha preferida. Mas apesar das divisões, a extensão de areia é contínua, desde a foz do rio Jucuruçu até o farol, ao lado do camping, onde começam as falésias. Existem ainda algumas praias relativamente próximas, como a Praia da Paixão e a Praia do Tororão.

COMO SE LOCOMOVER: A cidade é pequena, então dá pra andar a pé pra todo lado. Precisará apenas de carro para ir ás praias mais distantes. Para Cumuruxatiba é possível ir de ônibus também.
COMER: O Beco das Garrafas é o local onde se concentram a maiorias dos bons restaurantes. Meu preferido é o Banana da Terra. Para tomar um café, o Belo Café é uma boa opção.
COMPRAS: Na Rua Dois de Julho, rua da Igreja Matriz, é onde concentra-se o comércio de souvenires.

NOS ARREDORES: Muitas pessoas que gostam de um clima mais relaxante preferem passar direto, fugir da cidade e ir a Cumuruxatiba, distrito de Prado. Não apenas o clima, mas também o mar é mais tranquilo, uma grande psicina, e a paisagem imperdível. Se você foi até Prado, portal do descobrimento do Brasil, não se restrinja às praias da cidade, aproveite para ir à barra do rio Caí, local onde Pedro Alvares Cabral fez a primeira parada, após avistar o monte Pascoal, seguindo para atracar em Porto Seguro. A praia mais bonita fica ainda mais ao norte, Ponta do Corumbau. O acesso é ainda mais difícil. Já fui de carro e escuna, acho que é mais interessante ir pelo mar, apesar do possível enjoo. Algumas pessoas que vão à Prado aproveitam para fazer o passeio a Abrolhos, saindo de Caravelas. Se quiser ver as baleias Jubarte, busque ir entre os meses de julho e novembro.

#viaja: Ouro Preto por Ana Cláudia Souza

Leo convidou uma amiga para nos dar dicas de Ouro Preto, é bacana pois já conhecia o Srta <3. Obrigada Ana pela contribuição tão generosa! Eu sou suspeita, mas eu amo Ouro Preto. Não me canso de admirar suas janelas, sacadas, cores e até me enfurecer com o descaso em diversas situações. Ouro Preto dispensa apresentações. Foi uma cidade fundamental no Ciclo do Ouro e na economia de Portugal e...

#viaja: Praga por Leo Araújo

Praga é a capital da República Checa, situada às margens do rio Vltava, confluente do rio Elba. É uma cidade muito antiga, com registros de assentamento permanente em sua região no Século IX. A cidade é patrimônio mundial da Unesco, graças ao seu extenso conjunto arquitetônico e cultural. Sua arquitetura medieval é única e encantadora, o que a faz um destino muito comum para casais. A cidade é populosa, com mais de um milhão de habitantes e recebe muitos turistas o ano inteiro. Praga é famosa por ter sido residência do compositor Antonín Dvořák, Mozart durante algumas temporadas (Praga foi palco da estreia de Don Giovanni), do pintor Alfons Mucha, mas é mais conhecida por ser a casa do escritor Franz Kafka, quem recebeu um museu em homenagem.

Rio Moldava e Dancing House (Tančící dům)

ONDE FICAR: Para quem não tem problema para caminhar, basta procurar um hotel próximo à cidade velha. Em um raio de menos de 1km existem muitas opções de hotéis e albergues, assim fica fácil fazer os passeios sem precisar usar o transporte público.

Dancing House (Tančící dům)

ONDE IR: A cidade velha é um encanto, formada por casas antigas com grandes portas e janelas, e construções imponentes como o Castelo, as pontes e as torres. Os principais pontos, sempre abarrotados de turistas, são: a praça da cidade velha (Staroměstské náměstí), onde encontra-se a torre com o famoso relógio astronômico; a ponte de Carlos (Karlův most); e o Castelo de Praga (Pražský hrad). Outros pontos interessantes para visitar são: Palácio Wallenstein (Valdštejnský palác); Parque Vojan (Vojanovy sady); Jardim Real de Praga (Královská zahrada); bairro Josefstadt, com o gueto, cemitério judaicos e sinagogas; casa dançante (Tančící dům), um prédio de escritórios projetado pelos arquitetos Vlado Milunić e Frank Gehry; diversos museus.

Praça da cidade velha (Staroměstské náměstí)

O QUE COMER: Vários países do leste europeu clamam serem os autores do Goulash (aparentemente é um prato de origem húngara), o que nada mais é do uma carne de panela (carne de boi). Você verá vários restaurantes servindo o Goulash, mas nada especial.

(Goulash, foto da Wikipedia)

A cerveja é muito popular na República Checa, tanto é que este é o país com maior consumo de cerveja per capita. Os rótulos mais famosos internacionalmente são: Pilsner Urquell (Plzeňský Prazdroj) e Budweiser Budvar (Budějovický Budvar). A cerveja Pilsen (um tipo de cerveja lager) é originária da cidade de Pilsen (Plzeň), na Boêmia, a aproximadamente 100km de Praga.

(Pilsner Urquell, foto da Wikipedia)

Indo a Praga, não deixe de provar o Trdelník, um pão doce com canela em que a massa é enrolada em um cilindro e assado na churrasqueira. O melhor fica em frente à igreja de San Nicholas (Chrám svatého Mikuláše) veja aqui: goo.gl/euBKoW

(Trdelník, foto da Wikipedia)

DICA DE SEGURANÇA: Como todo o leste europeu, as cidades turísticas possuem muitos pickpockets (estilo mão leve, rouba sem que percebamos). Tome cuidado com seus pertences, mantenha-os sempre à vista. A República Checa também é famosa por muitos furtos de automóveis, o que pode dar um dor de cabeça se estiver com carro alugado (contrate um seguro no ato da locação).

Castelo de Praga (Pražský hrad)

DICA $$$: A moeda na República Checa é a Coroa checa (koruna česká, código: CZK). Hoje, um real equivale a quase 8 coroas checa. Fique sempre atento à conversão. Existem muitas casas de câmbio, com taxas que variam muito. É bom fazer uma pesquisa antes de trocar os Euros na primeira casa de câmbio que aparecer. Como é fácil sacar dinheiro em caixas automáticos, ou pagar com cartão, é bom verificar as taxas para ver qual é o melhor negócio. Além disso, alguns comerciantes podem aceitar Euro como pagamento. Faça as contas para não terminar a viagem com muitas coroas sobrando no bolso.

Praça da cidade velha (Staroměstské náměstí)

#viaja: Trens na Alemanha

Quem vai à Alemanha, provavelmente optará por viajar de trem entre as cidades. Os trens são um opção prática e, para nós brasileiros, pouco usual, afinal nosso sistema ferroviário, quando existente, é sucateado. Para distâncias curtas o trem é a melhor opção. As estações principais são no centro das cidades, diferentemente dos aeroportos que ficam nas periferias. Você desembarca e já pode começar ali o seu passeio. Além disso os trens não possuem o inconveniente de precisar chegar com antecedência, fazer check in e despachar a bagagem. Você chega no horário e embarca, sem burocracia, sem precisar apresentar o ticket a ninguém (os tickets serão exigidos durante a viagem).

Os trens são extremamente pontuais, então não se atrase um segundo sequer. No horário marcado ele deixa a plataforma e quem não embarcou fica pra trás. Para quem não conhece a estação, é bom chegar com antecedência para localizar sua plataforma e aguardar o trem, afinal você terá apenas alguns segundos para embarcar. Uma dica importante para os brasileiros é: leve apenas uma mala pequena, afinal você não vai querer carregá-la de cima para baixo, subir escadas, embarcar e desembarcar rapidamente, com um peso grande nas mãos.

Se possível, vá à estação no dia anterior para se localizar, verificar a localização das plataformas e até mesmo comprar o ticket com antecedência. Não é necessário comprar tickets com antecedência, pois de forma geral não existe lugar marcado. Existe apenas tickets de 1a e 2a classe. Os acentos das 1a não são significativamente melhores, por isso, em geral, ninguém compra ticket de 1a classe.

Existem basicamente 3 tipos distintos de trens na Alemanha: ICE (Intercity-Express), IC e EC (Intercity e Eurocity) e os regionais RE (Regional-Express), Regionalbahn e S-Bahn. Os trens ICE são os trens rápidos, e portanto caros. Os IC e EC ligam cidades. Já os trens regionais ligam regiões próximas. Uma melhor explicação sobre cada um deles pode ser obtida no site da Deutsche Bahn (DB). Entretanto é importante saber que é possível utilizar os trens regionais para atravessar toda a Alemanha, e assim é possível viajar de forma bem econômica. O lado ruim é fazer diversas conexões, algumas delas precisam ser bem rápidas para não perder o próximo trem (o que pode ocorrer se houver algum imprevisto e atrasar a viagem), e também a lentidão dos trens regionais que acabam parando em todas estações no caminho (cata jeca).

Agora que já expliquei as diferenças entre os trens posso explicar duas maneiras distintas de viajar de trem na Alemanha. A primeira, mais simples, é comprar o ticket direto da cidade que você está para a cidade a qual deseja ir. Nesta opção você utilizará os trens IC, EC ou ICE. A outra opção pode ser mais barata, principalmente para viagens em grupo, ela consiste em utilizar os tickets promocionais que lhe permitem utilizar somente os trens regionais. A maioria dos turistas desconhece esses tickets. Estes são basicamente três: Quer-durchs-Land-Ticket, Schönes-Wochenende-Ticket e Länder-Tickets.

Para todos eles você só poderá utilizar trens regionais e é importante observar as restrições de dias e horários. Com o Quer-durchs-Land você pode pegar trens em qualquer dia de 09h00 até 03h00 do dia seguinte. Com o Schönes-Wochenende você pode pegar trens no final de semana de 00h00 até 03h00 do dia seguinte. O Länder-Ticket é específico de cada estado, então, dentro do mesmo estado (até a fronteira), você pode pegar trens de 09h00 às 03h00 do dia seguinte. Já os tickets Quer-durchs-Land e Schönes-Wochenende são válidos em toda a Alemanha. Os preços dos tickes são: 40€ para o Quer-durchs-Land, 44€ para o Schönes-Wochenende e algo por volta de 23€ a 29€ para os Länder-Tickets (vai depender de qual estado). Mas os preços ficam mais baratos quando você viaja em grupo (máximo 5 pessoas), por exemplo, para o Quer-durchs-Land você adiciona mais 8€ euros por pessoa e Schönes-Wochenende mais 4€ por pessoa, para um grupo de 5 pessoas, o preço final seria 14,4€ e 12€ por pessoa, respectivamente. Os Länder-Tickets são cada um a seu jeito, alguns adicionam 3€ a 5€ por pessoa, outros são um valor fixo para grupos de até 5 pessoas e alguns ainda oferecem tickets diferenciados para o período noturno.

O melhor é planejar a viagem e com calma verificar as possibilidades. Você pode verificar tudo com antecedência no site da Deutsche Bahn, nas máquinas nas estações ou nos cartazes afixados nas estações com todo o plano de viagens daquela estação. O mais fácil é olhar no site ou nas máquinas. Dica valiosa: na máquina você pode imprimir o seu plano de viagem, para não ficar perdido. São muitas opções e o leitor já deve estar confuso. Para exemplificar, irei mostrar então 4 formas de ir de trem de Berlim a Dresden.

SIMULAÇÕES| BERLIM A DRESDEN

  1. Comprar o ticket direto de Berlim a Dresden. Fiz uma busca para o dia 10 de Janeiro de 2017, para os trens a partir de 7:00. Nos primeiros resultados podemos verificar que os preços variam de 19€ a 66€ e a viagem pode durar de 1 hora e 52 minutos a 3 horas e 13 minutos, dependendo da sua escolha. Na coluna da esquerda temos os preços das ofertas (Sparangebote), para este caso os tickets são fixos, sem possibilidade de troca ou reembolso. Na coluna da direita (Flexpreis) os preços de tickets que permitem troca ou reembolso e portanto mais caros. Note que nas opções estamos visualizando trens do tipo EC, ICE, RE, RB.  Para ir de forma mais rápida e sem paradas, o melhor seria pegar o trem das 7:03 ou 9:04. Ambos custam 19€ e a viagem duraria quase 2 horas.

  1.  Utilizar os tickets Quer-durchs-Land (durante a semana) ou Schönes-Wochenende (aos finais de semana). Neste caso, só podemos utilizar trens regionais e devemos marcar esta opção na busca (Nur Nahverkehr). Como a data selecionada foi uma terça-feira, iremos utilizar o Quer-durchs-Land e assim só poderemos pegar trens a partir de 09h00. O preço será 40€ para uma pessoa, 24€ para duas, 18,66€ para três, 16€ para quatro ou 14,4€ para cinco pessoas.

Como utilizaremos trens regionais, teremos que fazer baldeação. A primeira opção é o trem que parte às 09:31. Os detalhes da busca são ilustrados abaixo.

Primeiramente pegaremos o trem na estação central de Berlim (Berlin Hbf) às 09h31 na plataforma 4. O trem é o RE 3305 (este número aparecerá no letreiro eletrônico da plataforma e também no próprio trem). Iremos descer em Falkenberg às 11h07 na plataforma 3. Lá iremos trocar para plataforma 7 onde pegaremos o metrô de superfície S4 às 11h12 (terá apenas 5min para fazer essa troca) em direção à estação Elsterwerda-Biehla. Chegaremos às 11h32 na plataforma 1 e teremos 8 minutos para ir à plataforma 2 onde pegaremos o trem RB 18319 às 11h40 com destino final Dresden, chegando às 12h44. Se por acaso algo der errado, terá que rever o trajeto nas máquinas.

 

  1. A última opção é combinar dois Länder-Tickets: Brandenburg-Berlin-Ticket e Sachsen-Ticket. Neste caso, poderemos fazer o mesmo trajeto feito anteriormente, porém agora teremos que comprar 2 tickets.  O Brandenburg-Berlin-Ticket custa 29€ para um grupo de até 5 pessoas. Com este ticket você poderá também utilizar metrô, tram e ônibus. O Sachsen-Ticket custa 24€ para uma pessoa e mais 6€ para cada pessoa adicional (até o máximo de 5), ou seja, sairia 15€ para duas pessoas, 12€ para três, 10,5€ para quatro e 9,6€ para cinco pessoas. Este ticket também é válido para os metrôs, trams e ônibus nas cidades. Ao final, para um grupo de 5 pessoas, o preço seria 15,4€ por pessoa. Um pouco mais caro que a opção anterior, porém o transporte dentro das cidades, usando metrô, tram e ônibus, estaria incluso.

 

  1. Utilizar os tickets Quer-durchs-Land (durante a semana) ou Schönes-Wochenende (aos finais de semana) ou ainda a combinação dos tickets Brandenburg-Berlin-Ticket e Sachsen-Ticket para ir de Berlim a Leipzig, aproveitar o dia para conhecer a cidade e, com o mesmo ticket, ir para Dresden. Esta opção é boa para conhecer um novo destino, sem acrescentar custo à viagem. Chegando em Leipzig você poderá deixar a mala no guarda volumes (é preciso pagar e ficar atento aos horários) e aproveitar o dia para conhecer a cidade. Abaixo é ilustrado primeiramente o trajeto Berlim-Leipzig. Iremos pegar o trem RE 3709 na plataforma 13 da estação central de Berlim, às 09h15. Iremos desembarcar às 10h53 na estação central de Dessau, onde iremos pegar o metrô de superfície S2 na plataforma 3 às 11h06. Chegaremos em Leipzig às 11h58. Teremos 9 horas para conhecer a cidade (tempo mais do que suficiente, inclusive ir ao Monumento da Batalha das Nações).

Ao final do dia, iremos pegar o trem RE 16535 para Dresden na plataforma 21 às 21h00, com chegada em Dresden às 22h31.

Mais infos: 

 

#viaja: Berlim por Leo Araújo

Berlim é uma cidade cosmopolita, com 3,5 milhões de habitantes, é capital da Alemanha e a maior cidade do país. Situada no nordeste da Alemanha, Berlim é uma cidade global, centro de cultura, moda, ciências e tecnologia. Em sua história recente, Berlim foi severamente marcada pela divisão pós-guerra. Um extenso muro que dividia a cidade em Berlim Oriental e Berlim Ocidental. As marcas da divisão entre a República Federal da...